O termo latino Sapere Aude - Ouse Saber - traduz a essência de todo conteúdo deste blogger. Nosso desejo, aqui, é ajudá-lo a mergulhar em ideias que produzam um bem estar de prazer nesse imensurável mar de conhecimento. Logo, contribuiremos da melhor maneira possível para que indivíduos sejam “libertados das suas cadeias e curados da sua ignorância” – como imaginava Sócrates. Portanto, saia da caverna, AGORA, e aproveite o máximo que puder. Um abraço...

FlashVortex.com

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Os Croods (2013): Um filme de Kirk DeMicco e Chris Sanders

"Vocês precisam ver isso."

Os Croods (The Croods, 2013) é mais uma daquelas animações que surpreende e, por sua vez, nos faz pensar em assuntos de grande valia como, por exemplo: política, biodiversidade, senso comum (opinião), senso crítico (consciência política e filosófica) e um belo espanto  pela natureza. Este longa de animação trás em seu elenco: Nicolas Cage na voz Grug Crood, o pai da família. Grug se desteca pela sua natureza tacanha e irredutível  a mudança. Thunk Crood (Clark Duke), o filho adolescente desprovido, um pouco é verdade, de um bom entendimento das coisas. Emma Stone, a filha, também adolescente, de Crood, Diferente do pai ela revela, sim, olhar mais crítico da realidade e um despertar para um grande espírito livre no tange a vontade de conhecer o mundo além do próprio "mundinho".
A luz exterior em contraste com as
sombras do caverna
.
Quem parece acompanhar a filha, na mesma intensidade, mas, com ar de moderação diante dos faltos é a mãe 
Ugga Crood  (Catherine Keener) esposa de Grug. Com eles segue o pequeno Sandy Crood (Randy Thom) um bebezinho atordoado e feroz bem fora dos padrões convencionais (?). No papel da sogra de Grug se encontra Cloris Leachman, responsável por momentos bem divertidos no longa. E, por último, Guy (Ryan Reynolds) um garoto que não faz parte do clã dos Crood e se revela como um espécie de ser norteador para mudanças de atitudes dos membros da família Crood. O longa se desenvolve todo na tentativa de ver o mundo por meio de outra perspectiva. Não mais aquela percepção enclausurada, literalmente, dentro de uma caverna, senão fora dela. Eis, aí, então, a
grande sacada do filme. A diversão é só mais um elemento de puro entretenimento. O que se encontra por trás de tudo isso é, na verdade, a ideia de que se continuarmos vivendo condicionados a pensamentos retrógrados repletos de insegurança e medo não conseguiremos alçar voos maiores. O novo sempre nos causará espanto. O diferente no aterrorizará. O contrário disso, ou seja, contemplar o mundo e abrir os poros da consciência é uma atitude que nos catapulta para uma espécie de Universo expansivo. A descoberta além da caverna é o ápice desta bela animação. Bem pedagógica. Assim a definimos. Um abraço e até a próxima...
 
Os Croods (2013), trailer oficial.

2 comentários:

  1. Legal ver vc comentando no blog.


    Vou repensar ele. Aquecer. kkk.

    abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá, Renato. Prazer recebê-lo aqui. Espero que tenhas gostado. Valeu..

    ResponderExcluir

Fugitivos da caverna comentam, aqui: